0
Saiba como se proteger nas compras na Black Friday

5 cuidados com as compras na Black Friday

As compras na Black Friday estão chegando. O evento será realizado, como sempre, na última sexta-feira de novembro, o que em 2019 cairá no dia 29 do mês.

Para muitos, a Black Friday é um momento especial para comprar tudo aquilo que a pessoa precisa a preços baixos. Dá para renovar o guarda-roupa, comprar uma nova TV, livros, games e muitos outros produtos.

No entanto, no frenesi das compras na Black Friday, é normal cometer alguns erros e acabar saindo prejudicado por causa disso. Para garantir que nenhum direito será violado, confira a seguir quais os cuidado essenciais com essa data comercial.

1. Tenha atenção ao Direito de Arrependimento

O Direito de Arrependimento é um direito garantido ao consumidor pelo Código de Defesa do Consumidor. Originalmente, ele foi projetado para proteger as pessoas de compras feitas por telefone ou em ambientes fora do estabelecimento comercial da loja.

No entanto, com o avanço dos e-commerces na Internet, o Direito de Arrependimento passou a mediar as negociações feitas em lojas online, na ausência de uma legislação específica para o assunto.

Por causa disso, o consumidor que comprar na Internet durante a Black Friday terá 7 dias desde a entrega do produto para poder reclamar e se arrepender da aquisição, podendo devolver a mercadoria ao lojista sem custos.

No entanto, para que isso seja válido, é importante frisar que o cliente não pode ter usado o produto (em caso de uso, claro) e que faça o aviso à empresa no prazo específico de 7 dias do recebimento da mercadoria.

2. Pergunte se poderá trocar o produto na loja

Se o Direito de Arrependimento permite que o consumidor devolva um produto comprado pela Internet, nas lojas físicas as coisas não são assim. Se você adquirir a mercadoria no estabelecimento da empresa, então não se encaixa nessa categoria.

Por esse motivo, é importante ter cuidado com as compras na Black Friday que forem feitas em lojas físicas, já que as empresas não são obrigadas a aceitar devoluções ou trocar produtos. Pois é! O CDC garante que as lojas não precisam trocar ou devolver, CASO o produto não tenha vícios (defeitos).

Se o produto estiver em ordem, não há obrigatoriedade de retorno ou troca,  a não ser que a loja prometa que fará a troca. Nesse caso, ela deverá cumprir com o prometido. Diante isso, é importante perguntar aos atendentes se as políticas da loja incluem trocas.

Se um deles confirmar que há a possibilidade de trocas, então a loja é obrigada a cumprir com o prometido.

3. Verifique bem se o produto não tem vícios

Antes de comprar o produto, seja lá qual for, faça uma análise rápida para garantir que ele não apresenta vícios ou defeitos. Se ele apresentar, não compre. Apesar da loja ser obrigada a trocar por uma mercadoria nova, a dor de cabeça para conseguir isso pode não valer a pena.

Pelo CDC, as lojas são obrigadas a trocar um produto com vícios em 30 dias (caso o defeito não impeça o funcionamento da mercadoria) ou imediatamente (caso impeça). No entanto, é preciso ir até a loja reclamar e, em alguns casos, entrar na Justiça com um advogado para fazer valer o seu direito. Se puder, evite o incômodo.

4. Escolha boas lojas para as compras na Black Friday

Uma boa maneira de evitar dores de cabeça nas compras na Black Friday é encontrar boas lojas onde comprar. Isso porque algumas empresas não adotam práticas honestas em datas como essas e, por isso, enganam o consumidor.

O Procon produz uma lista anual com as lojas virtuais que o consumidor deve evitar por praticarem hábitos irregulares durante a Black Friday. Além delas, evite também aquelas cujos produtos não são garantidos e que pareçam ser de procedência duvidosa.

Dessa forma, você previne dores de cabeça com os produtos que forem comprados no evento.

5. Acompanhe os preços com antecedência

Uma das piores práticas da Black Friday no Brasil é o “preço pela metade do dobro”, como é popularmente conhecido. A estratégia consiste em aumentar o preço dos produtos nas semanas que antecedem o evento para então dar um desconto simbólico. Na prática, o produto sai pelo mesmo preço de antes do “desconto”.

Essa prática é fraudulenta, claro, e é punida pelo Procon. No entanto, o órgão não consegue fiscalizar todas as incidências dessa prática, especialmente durante o movimentado dia da Black Friday. 

Por essa razão, vale a pena usar rastreadores de preço (existem várias extensões online ou sites que fazem o serviço) para acompanhar as variações e saber se há ou não fraude na promoção.

Seguindo as nossas dicas, as compras na Black Friday ocorrerão sem problemas para você. É claro que é importante se prevenir de inconvenientes, mas nem sempre é possível. Nossas dicas podem evitar grande parte das situações negativas, mas às vezes elas simplesmente acontecem.

Se acontecerem com você, não hesite em entrar em contato para saber como podemos ajudar a fazer valer os seus direitos de consumidor na Black Friday!

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *